Trio Capim Santo – Apresentação Única (pt. II)

Bem, conforme prometido neste post em Junho, o Trio Capim Santo fez a apresentação no citado festival e tudo correu bem e saímos de lá carregados e aclamados pelo público maravilhado com a profundidade poética da nossa obra e adianto que, talvez, em toda história do rock nacional, não tenha ocorrido uma estreia tão desastrosa e problemática de um grupo musical. Estávamos preparados tecnicamente e psicologicamente para uma apresentação no Sábado. Despreocupados e vagando pelas ruas na cidade em busca de inspiração para uma composição, fomos surpreendidos com a notícia que o festival tinha sido antecipado para a Sexta-Feira, às 19:00h. Eram 17:00h, de Sexta-Feira… Pânico, correria, tumulto, violão com corda quebrada, confusão, caos.

Mesmo assim, chegamos a tempo de sentar ao lado do palco e começamos uma degustação progressiva de comidas e bebidas totalmente contraindicadas para quem vai tocar e cantar.

Depois de uma tentativa fracassada de suborno por parte do técnico de som, subimos ao palco, ladeados pelo nosso fiel companheiro e irmão camarada e 4º membro do trio(?) Kelvin Mota, que não se apresentou por questões puramente contratuais e técnicas, e encaramos a multidão que, ansiosa por uma nova revolução musical, assistia ao festival. Vamos à música:

Ficou esclarecido que, contrariando toda lógica mercadológica gospel, nossa música trataria de um tema muito mais importante que restituição, chuva, fogo, ou rompimentos em fé. O tema era: Segunda-Feira. Este dia odiado por todos que sobrevivem ao Domingo.

Resultado: não fomos sequer mencionados entre os classificáveis. Fracasso total e absoluto. Aliviado e feliz por apresentar uma música minha com a total cara-de-pau necessária para ignorar qualquer possível resultado, saí à caça de batatas fritas e hot-dogs (meu verdadeiro objetivo da noite).

Ontem (28/11), o nosso amigo Júlio Carvalho, vocalista e bandleader desse distinto grupo http://puxinkoi.blogspot.com/, que também se apresentou na mesma ocasião, mandou para o youtube o registro da nossa apresentação, não sem antes fazer uma edição pinkfloydiana da obra.

Pontos que você deve levar em consideração ao ver o vídeo:

  • Foi nossa música mais despretensiosa, sem sai-do-chão, sem muito barulho, sem pretensão de salvar o rock nacional. Apenas fomos lá e tocamos a música da forma mais sincera com nós mesmos. (tão sincera que mantivemos as desafinações dos ensaios #NOT)
  • Desconsidere essa tentativa de vozes divididas lá perto do fim da música. Foi uma das ideias mais infelizes que tivemos na vida e mal ensaiada também.
  • Dica: antes de se apresentar cantando, tome água. Só água. Não esquecer de ir ao banheiro antes é muito importante também.
  • Jamais comece uma apresentação sem antes conferir se os microfones estão ok.
  • Proíba qualquer registro audiovisual do negócio. Fotografias são permitidas, já que não reproduzem o som e deixam a impressão que correu tudo bem.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s