Korn: estaria Brian Head Welch retornando à banda?

Matéria by http://www.whiplash.net

Korn: estaria Brian Head Welch retornando à banda?.

Já vi alguns cristãos criticando o Brian pela provável volta à banda.

Fruto do velho exclusivismo que obriga qualquer convertido a abandonar e negar seu passado, cortar laços de amizade e se tornar mais um “separado do mundo”.

A história do Brian foi trágica e sua recuperação foi muito bonita e eu não sei quais as razões que levaram o Brian a mudar de ideia e voltar pra banda.

Tenho certeza que fora ou dentro do Korn, ele saberá distinguir muito bem tudo que era ruim pra ele e seguirá servindo à banda com o seu talento e profissionalismo – coisas que para um cristão não são santas nem profanas.

Melhor assim, com sinceridade e trabalhando com sua arte, do que viver de testemunhos que renegam o passado, bancando o super-convertido-moralista pra aplauso de uma platéia caracterizada pela preguiça de pensar. E ainda receber de bom grado, todo $$$ advindo dos direitos autorais das antigas músicas “profanas”.

aqui, uma parte do testemunho dele sobre sua conversão e um trecho de um show dele.

 

Anúncios

O deus do Nelson Cavaquinho

Me parece que também é o meu (minha ideia de) Deus.

Mas me parece que o ibope desse deus anda muito em baixa no meio (vencedor, triunfante, vitorioso e invicto) evangélico brasileiro.

Enfim…vejam:

Deus Não Me Esqueceu

Nelson Cavaquinho

Quem vem
Ao mundo é para sofrer
Uns fogem da vida
Mais eu quero viver
Quem não sabe sofrer
Não tem amor a deus
Carrego a minha cruz
Deus me ensinou a suportar
Os sofrimentos meus
Assim irei até o fim
Feliz neste mundo de
Quem pensa assim
Sou pobre mais sou rico
De bondade que deus me deu
Deus não me esqueceu

(ignorem a edição do vídeo, concentrem-se na letra)

A Parábola da Máquina de Refrigerantes

O consumidor estava sedento. Tudo que precisava era uma máquina de refrigerantes…ah…as máquinas de refrigerantes, elas sempre nos obedecem… pagamos, elas nos devolvem a solução gostosa e gelada para nossa sede.

Mas, onde encontrar uma máquina de refrigerantes?

Eis que ao longe ele visualiza seu objeto de desejo.

Alegria! ele corre…

Saca do bolso uma moeda, escolhe o refrigerante e…

A máquina trava. Como assim?

Não pode ser!

Furioso, se sentindo enganado, ele chuta a máquina.

A máquina não coopera e ele vai embora decepcionado, triste, não acredita mais em máquinas de refrigerante.

Mestre, explica-nos a parábola.

A Máquina de Refrigerante é o Pai que está no céus. A moedinha é a vossa fé. Vós sois os consumidores. O Refri Gelado são as bençãos. As pancadas e chutes na máquina são vossas orações e pedidos insistentes.

“No princípio não era assim…”